António Mexia: «Num mundo global só se vence com talento, disciplina e capacidade de funcionar em rede»

António Mexia, presidente executivo da EDP, foi o orador convidado do segundo jantar networking organizado pelo FAE, a 30 de Outubro, cujo mote foi atuais tendências e desafios da gestão.

«As empresas portuguesas têm que perceber que vivemos num mundo global que muda a uma velocidade estonteante e em que a única maneira de ganhar a capacidade de vencer é através de talento, disciplina e capacidade de funcionar em rede», afirma António Mexia.

Segundo o CEO da EDP, o principal problema do país está na elite, não só empresarial, política ou social, mas em geral. «Hoje toda a gente sabe tudo, tudo está disponível. A questão essencial é como é que juntamos as peças do puzzle. E como o puzzle é grande e complicado, uma parte das vezes já não o fazemos sozinho». Para o presidente da eletrica, «precisamos de funcionar em rede, precisamos de cooperação, precisamos de competição, ou seja, precisamos de ter a consciência de quais são as nossas limitações e que não vamos fazer os desafios sozinhos. Essa é a questão essencial. É a capacidade de cooperação. E isso é uma das coisas que justamente a elite portuguesa sempre teve enorme dificuldade em perceber», diz António Mexia.

Apesar disso, o presidente da EDP afirma que Portugal tem melhorado conforme as mudanças geracionais porque, para si, os mais jovens têm uma capacidade maior de cooperação.

Para António Mexia, o FAE é fundamental porque luta «constantemente para esta capacidade de nos excedermos a nós próprios do ponto de vista da gestão e administração das empresas”. No entanto, para si, ainda há muito a fazer. Mas “hoje estamos melhores», termina.

António Mexia está à frente da EDP há 14 anos e foi nomeado para os CEO do ano nos prémios S&P Global Platts, na categoria energia.

Categoria: Notícias.