Caso de estudo desenvolvido pela Nova SBE vence concurso FAE/EDP 2014

O caso de estudo «TIMWE IPO: go or no go?» da Nova School of Business and Economics, venceu a primeira edição do concurso promovido pelo FAE em parceria com a EDP.

Com o objetivo de promover nas universidades o estudo de casos sobre empresas portuguesas, e premiar o caso de estudo que melhor ilustra a realidade concreta destas empresas, o Fórum de Administradores de Empresas em parceria com a EDP atribuiu no passado dia 16 de outubro o prémio FAE /EDP caso de estudo 2014.

O vencedor desta primeira edição foi o caso de estudo da Nova School of Business and Economics «TIMWE IPO: go or no go?» desenvolvido pela aluna Diana Basílio, no âmbito da tese de Mestrado em Finanças, e pelo professor Paulo Soares de Pinho.

Um trabalho premiado com 10 000 euros e distinguido como o mais bem conseguido entre os trabalhos apresentados por várias prestigiadas escolas de negócios Portuguesas.

Na cerimónia de atribuição do prémio, que decorreu no museu da Eletricidade em Lisboa, João Salgueiro Presidente do Conselho Geral da FAE referiu que esta iniciativa contribui para um melhor conhecimento da realidade empresarial portuguesa.

Luís Filipe Pereira, Presidente da FAE, anunciou que o prémio FAE /EDP caso de estudo vai ter uma nova edição que será alargada a outras instituições de ensino superior.

Pela EDP, Eduardo Catroga, Presidente do Conselho Geral e de Supervisão, felicitou a FAE por esta iniciativa e destacou a importância do método de casos para a realidade das empresas e das universidades.

No total foram cinco os finalistas deste prémio FAE /EDP caso de estudo 2014:

– «TIMWE IPO: go or no go?» desenvolvido por Diana Basílio, no âmbito da tese de Mestrado em Finanças, e pelo professor Paulo Soares de Pinho.
– Caso “EDP” da autoria de Helena Gonçalves e Ana Roque da Universidade Católica do Porto

– Caso «ZON» da autoria de Nuno Magalhães Guedes e Filipa Bilbao da  Universidade Católica de Lisboa

– Caso «Science for you» da autoria de José Paulo Esperança, Márcio Baptista e Maria Conceição dos Santos e o caso “Fisipe” da autoria de Luís Lynce de Faria.

Cada um dos trabalhos finalistas ganhou um prémio de 5 000 euros.

Categoria: Notícias.

Deixe uma resposta